Vereadores conversam com gerente do BB sobre retomada das atividades da agência de Oeiras

por Sueli Rodrigues publicado 18/09/2018 20h10, última modificação 18/09/2018 20h10
Nesta segunda-feira, 17, uma comissão de vereadores da Câmara Municipal visitou a agência e conversou com o gerente sobre a retomada das atividades.
Vereadores conversam com gerente do BB sobre retomada das atividades da agência de Oeiras

Foto: Rogério Silva

O autoatendimento da agência do Banco do Brasil, atacada por criminosos no início de agosto, deve ser reaberto na próxima semana. Nesta segunda-feira, 17, uma comissão de vereadores da Câmara Municipal visitou a agência e conversou com o gerente sobre a retomada das atividades.

A comissão foi composta pelo presidente da Câmara, José Alberto, e os vereadores Espedito Martins, Beron Moraes e Gilmar Fontes, autor do requerimento, que solicitou a visita ao banco. “Estivemos no Banco do Brasil hoje. Encaminhamos um ofício, solicitando informações à respeito da reabertura do banco. Conversamos a superintendência do banco, com o assessor de comunicação, o Tiago, e ele nos garantiu que a agência será reaberta, provavelmente, na próxima semana, com dinheiro nos caixas eletrônicos”, comenta José Alberto.

A gerência do BB informou aos vereadores que agência de Oeiras passa por reparos estruturais por conta das avarias causadas pelo arrombamento e, em breve, todos os serviços serão normalizados. “O banco vai reabrir normalmente, nosso município não vai ser prejudicado. A superintendência tomou todas as providências no sentido de reabrir, o gerente se mobilizou. A classe política se mobilizou, o prefeito esteve lá conversando com o superintendente na cidade de Teresina e hoje estivemos com o gerente, que nos garantiu que em breve a agência estará aberta para atender integralmente o público de nossa cidade”, acrescenta o parlamentar.

No dia 02 de agosto, bandidos fortemente armados explodiram, simultaneamente, o Banco do Brasil e o Banco do Nordeste da cidade de Oeiras. Para evitar a aproximação da Polícia, os criminosos levaram oito clientes de um bar como reféns que seriam usados como "escudos" em um possível confronto. Os reféns foram liberados a cerca de 5 km das agências bancárias. O montante levado pela quadrilha não foi revelado.